O que é Slow Fashion?

Consultora do Center for Sustentable Fashione professora de design, Kate Fletcher foi a primeira pessoa a conceituar o termo Slow Fashion. Em seu livro “Sustainable Fashion and Textiles: Design Journeys” define que Slow Fashion significa literalmente “Moda lenta”.

Assim como em oposição ao Fast Food surgiu o Slow Food, o Slow Fashion surgiu como uma forma de resistência a produção em massa. Kate Fletcher incentiva as pessoas a não contribuírem com os baixos salários dos trabalhadores que realmente produzem a peça de roupa em questão.

Além disso, outra questão fundamental é a consciência dos produtos comprados, de onde eles vêm, como são feitos e por quem são produzidos. A globalização, a propaganda abusiva, o apelo visual, as tendências passageiras e os preços baixos que desqualificam quem os produz são características do Fast Fashion, contrariando tudo que Kate Fletcher e a moda sustentável prega.

 

 

 

Quais são os conceitos por trás do Slow Fashion ?

Sustentabilidade

A sustentabilidade é um dos principais conceitos seguidos pelos praticantes do Slow Fashion. Sua obrigação aqui é pensar em todos os impactos negativos que a produção da sua roupa pode trazer para as pessoas e ao meio ambiente. E isso abrange muitos aspectos, desde a matéria-prima, os resíduos têxteis, até a condição de trabalho de quem faz as peças.

Valorizar os recursos locais

Muito comum nas grandes empresas Fast Fashion, a descentralização da produção e a busca por lugares com mão de obra e matéria prima barata devem ser deixados de lado. Aqui a ideia é valorizar não só os recursos locais, mas também a cultura. A padronização de roupa faz com que esse aspecto seja ignorado, perdendo a individualidade tanto da produção, quanto da pessoa que adquire a peça.

Além disso, valorizar os trabalhadores da sua região e o desenvolvimento do comércio local é muito importante. Muitas vezes dar a oportunidade para o trabalho de alguém próximo e que terá tanto cuidado quanto quem planejou a roupa é fundamental para um bom resultado final.

Diversidade

Você já sentiu que diversas pessoas tinham a mesma roupa que você? Isso acontece porque as indústrias a fim de diminuir os custos produzem centenas e às vezes milhares da mesma peça e distribuem para venda. O Slow Fashion tem a proposta de produzir diversidade e pequenas unidades, ou seja, poucas peças iguais. Assim, os looks ficarão mais característicos e individuais, sem a grande padronização do Fast Fashion.

Valorizar as relações no processo de produção

O processo de produção se torna mais próximo, valorizando as relações e cada etapa de confecção. Desde o designer até o funcionário de vendas, todos devem conhecer os procedimentos necessários, o conceito da coleção, a matéria-prima etc. Isso trás particularidade e uma afetividade pela roupa.

Produzir peças com qualidade, beleza e cuidado

Por fim, como consequência do carinho adquirido pela peça e pela produção, vem um cuidado que gera qualidade. Diferente do Fast Fashion, os colaboradores não possuem uma pressão do tempo e realizam mais de um processo por peça, resultando assim em um melhor acabamento. Muitas marcas Slow Fashion, assim como a Double Vision, também oferecem serviços de consertos e ajuste após a compra, a fim de manter a qualidade e durabilidade do produto.

 

Texto por Jéssica Maciel.

Você também pode gostar

Publique um comentário

Your email address will not be published.