Arte têxtil na decoração de interiores

A arte têxtil é uma especialidade artística que diz respeito ao trabalho com fibras que posteriormente se tornam tecidos. É uma arte que acompanha a história da humanidade sendo fortemente trabalhada na Europa nos séculos passados. Nos países orientais a arte têxtil é considerada traço permanente da cultura e ainda é muito valorizada.

O mais comum emprego deste tipo de arte é a na fabricação de indumentárias utilizadas em grandes acontecimentos civis ou religiosos.

Atualmente ela está sendo utilizada com freqüência na decoração de interiores. Além de dar uma sensação de aconchego ao lugar, pode trazer mais cor e mais textura aos ambientes.

 

Obra têxtil de Sheila Hicks

 

Nos museus de artes decorativas é possível encontrar tecidos que contam toda a história da arte com materiais têxteis. Desses tecidos uma das principais manifestações da arte têxtil é na confecção de tapeçarias. As tapeçarias são tecidos grossos usados para cobrir paredes, portas ou pisos de forma que a combinação e posicionamento das fibras de diferentes cores sejam obtidas ilustrações. Essencialmente usa-se como matéria-prima a lã, por vezes enriquecida com fios de seda, ouro ou mesmo prata.

O maior desenvolvimento da arte têxtil em tapeçarias se deu na França e na região dos Flandres, no período final da idade média. Já no período moderno a demanda continuou, sendo o século 17 a época em que a arte com os materiais têxteis teve seu ponto de maior reconhecimento e apreciação.

Outras manifestações bastante importantes da arte têxtil são os bordados que são trabalhos feitos com enfeites que juntos formam desenhos sobre os tecidos.

Existe também a manifestação da arte têxtil por meio de rendas, um trabalho que consiste essencialmente em tecidos reticulados preenchidos com diversos desenhos.

 

Arte têxtil de Tammy Kanat

 

 

Arte têxtil de Tammy Kanat

 

No início do século XX, os ateliês de tecelagem bem como os de cerâmica tinham um prestígio social bastante diminuto, sendo inclusive marginalizados dentro das escolas artísticas. Essa marginalização ocorreu por conta de a arte têxtil ser um trabalho mais manual e tradicional. Já os ateliês de metal e vidro tinham uma posição mais nobre uma vez que seus produtos eram considerados mais industriais e extremamente mais modernos.
Mais para o final do século XX diversos artistas têxteis de várias localidades do mundo passaram a integrar os tecidos em esculturas, instalações e outras formas de arte. Na própria arte contemporânea tem-se usado muito o feltro, seda e tecidos de fibras naturais.

 

Texto por Jéssica Maciel

Você também pode gostar

Publique um comentário

Your email address will not be published.